Em Itu: Parque Maeda possui o maior jardim japonês do país

Cenário conta com um primoroso projeto de paisagismo, espelhos d’água com carpas Koi, bonsais, ponte japonesa e cascatas em 27.500 m² de área verde.

Tranquilidade, paz de espírito e harmonia com a natureza remetem às tradições dos povos orientais, que cultuam e buscam a tão desejada energia positiva. Quem visita o Jardim Japonês do Parque Maeda, em Itu (SP), sente-se revigorado. O local, considerado o maior jardim japonês do Brasil, possui 27.500 m² de área verde em um primoroso projeto de paisagismo com espelhos d’água com carpas Koi, bonsais, ponte japonesa, cascatas, arbustos, árvores e flores de diversas espécies.

 

O jardim foi projetado cuidadosamente com simbolismos que remetem à cultura japonesa. Quem assina o projeto é o paisagista Tadashi Hanashiro, e o atual responsável pela sua manutenção é o colaborador Roque Santana, o China, que exerce o ofício há 16 anos. A proposta do Jardim Japonês dentro do Parque Maeda é ser um refúgio calmo e repleto de verde, com elementos de paisagismo e decoração que transmitem harmonia.

 

Para compor o cenário foram usadas mais de 400 árvores, além de arbustos, gramíneas, flores, lagos e riachos. Há também um túnel de pedra que passa por baixo do jardim cuja simbologia é transportar o visitante para uma dimensão contemplativa. O local inclui ainda uma cerejeira ornamental, conhecida como a flor da felicidade; o acer vermelho e as lanternas de pedra. O objetivo das lanternas é induzir à concentração, ajudando a clarear a mente, a tradição e a tranquilidade.

A água, presente nos espelhos d’água e nas cascatas, simboliza o ciclo da vida, do nascimento à morte. As carpas também têm um significado especial: representam sorte, prosperidade e persistência. Já rochas e pedras, assim como cascalho e areia, possuem grande importância na cultura japonesa pois simbolizam resistência e demarcam os caminhos dos homens e mulheres.

 

Um elemento especial do jardim é a ponte japonesa, sobre a qual é possível relaxar, apreciar a paisagem e as carpas que nadam nos espelhos d’água. Além da estética tradicional e da harmonia com a natureza circundante, a ponte simboliza a transição do mortal para o sagrado e a passagem entre as fases da vida.

O jardim conta ainda com o Torii, tradicional portão japonês pintado de vermelho – segundo a tradição japonesa, a cor vermelha tem o poder de espantar doenças. O portão representa a passagem do mundo físico para o espiritual.

 

Uma excelente oportunidade para conhecer os costumes e hábitos dos japoneses!

As atividades de lazer funcionam aos sábados, domingos e feriados. Têm início às 9h e seguem até as 17h. Para garantir seu passeio com a Lilimartur clique aqui!

Comentários

Deixe uma resposta